Em andamento

PROJETOS DE EXTENSÃO

Título Descrição Coordenador Financiamento
Execução do Convênio 125/2008 – Farmácia Escola UFSC/PMF A Farmácia Escola teve sua criação e funcionamento estabelecidos por meio Convênio 125/2008, firmado entre a Universidade Federal de Santa Catarina e a Prefeitura Municipal de Florianópolis (PMF). Instalada no Campus Universitário da UFSC, à Rua Delfino Conti s/n, é um espaço docente-assistencial que integra o Curso de Graduação em Farmácia da UFSC e a rede de serviços de saúde da PMF. Como uma Unidade de Saúde, destina-se à dispensação de medicamentos custeados pelos governos municipal, estadual e federal. Atende atualmente cerca de 300 usuários por dia, sendo que esta população é composta, em sua maioria, por indivíduos que necessitam medicamentos do grupo chamado Componente Especializado da Assistência Farmacêutica – produtos de custo elevado, em geral para o tratamento contínuo de situações clínicas graves, como transplantes de órgãos, Parkinson, artrite, esquizofrenia refratária, doença de Crohn, etc. As particularidades da Farmácia Escola oportunizam, enquanto espaço docente, o desenvolvimento de atividades de extensão, ensino e pesquisa, envolvendo tanto estudantes da Graduação, quanto da Pós-Graduação em Farmácia e em Assistência Farmacêutica. Rosana Isabel dos Santos Sem Financiamento
SIG de Cuidados Farmacêuticos Grupo de interesse de estudos que tem como objetivo promover a educação continuada dos profissionais farmacêuticos visando o aprimoramento e a qualificação dos serviços farmacêuticos utilizando recursos de tecnologia da informação e educação à distância através da Rede de Telemedicina. Carine Raquel Blatt Sem Financiamento

PROJETOS DE PESQUISA

Título Descrição Coordenador Financiamento
Estudo sobre o impacto da estratégia EAD na formação dos farmacêuticos A análise dos impactos do processo de capacitação nas atividades dos serviços de saúde abrangidos, bem como da sua capilaridade nos distintos processos de formação de novos profissionais direcionados à prática da assistência farmacêutica constitui instrumento essencial para a retroalimentação necessária para o acompanhamento e para a atualização das políticas públicas nesse campo. Ao mesmo tempo, estudos desta natureza podem contribuir de forma sistemática para a possível identificação de ferramentais metodológicos que auxiliem na permanente busca de maior eficiência das iniciativas voltadas à consolidação do Sistema Único de Saúde no Brasil. Norberto Rech Ministério da Saúde
Políticas públicas e o acesso a medicamentos de alto custo: a situação do Brasil em relação a outros centros da América Latina Os medicamentos, são produtos que apresentam duas faces na sociedade, de um lado são considerados bens sociais, cuja finalidade é a prevenção e resolução de problemas de saúde e, portanto, percebidos como necessidade em saúde pela sociedade; do outro, a indústria farmacêutica é intensiva em conhecimento, o que permite gerar um grande valor agregado e a converte em um setor estratégico para a economia, onde o medicamento é o produto gerador de lucro. Nos dois contextos, a saúde e o mercado, o medicamento é objeto de tratados no âmbito internacional e de políticas e regulamentações no âmbito nacional. No Brasil, a I Conferência Nacional de Medicamentos e Assistência Farmacêutica, em 2003, a Política Nacional de Medicamentos e a Política Nacional de Assistência Farmacêutica estabeleceram diretrizes para a estruturação da assistência farmacêutica visando a garantia do acesso e o uso racional dos medicamentos. Contudo, relatórios internacionais apontam que, apesar dos avanços observados nos últimos anos no sentido de garantir o direito à saúde da população, os países da América Latina ainda não solucionaram os problemas de acesso aos medicamentos essenciais. O acesso e o financiamento dos medicamentos de alto custo nos sistemas de saúde, na atualidade são temas presentes nas discussões das políticas públicas dos países, tanto pelo impacto econômico quanto pelo impacto sobre a saúde pública. Ainda que os diferentes países tenham definido políticas para garantir aos seus usuários o acesso a este tipo de medicamentos, sem comprometer a sustentabilidade financeira dos sistemas de saúde, nem sempre os pacientes acham satisfeitas suas demandas em saúde e, cada vez com maior frequência, recorrem à via judicial invocando a defesa do direito a saúde, para obter acesso ao tratamento. Esta “generalização” da judicialização, justifica o desenvolvimento de uma análise comparativa das políticas implementadas em alguns países da América Latina, para garantir o acesso e financiamento dos medicamentos de alto custo, incluindo as políticas para fomento do desenvolvimento técnico e científico relacionado com os medicamentos e as políticas de controle de preços, assim como a caracterização do fenômeno de judicialização do acesso aos mesmos. Assim, o presente estudo objetiva analisar as políticas públicas e o acesso a medicamentos de alto custo no Brasil e comparar com outros países da América Latina. Mareni Rocha Farias CNPq
Acompanhamento farmacoterapêutico de pacientes em uso de telaprevir (TVR) ou de boceprevir (BOC), associado a interferon peguilado e ribavirina (terapia tripla), no tratamento da hepatite C crônica A Organização Mundial da Saúde estima que 170 milhões de pessoas estejam infectadas com o vírus da hepatite C (VHC), o que representa cerca de 3% da população mundial, mas dados sugerem uma proporção elevada de indivíduos não diagnosticados. Neste contexto, o projeto envolve três eixos centrais: (i) aspectos epidemiológicos e relevância da hepatite C; (ii) possibilidades de tratamento desta infecção associadas ao elevado custo e às desconhecidas taxas de efetividade e (iii) relevância da monitorização do tratamento e do manejo adequado das complicações e eventos adversos. A infecção pelo vírus de genótipo 1 apresenta o pior prognóstico e o tratamento nestes casos é realizado com alfapeguinterferona associada a ribavirina por 48 semanas e atualmente, estão disponíveis, os primeiros inibidores de ação direta contra o VHC, boceprevir (BOC) e telaprevir (TVR), ambos são utilizados com alfapeguinterferona + ribavirina (PEG-INF + RBV = PR), constituindo assim, a terapia tripla. O acompanhamento do paciente por uma equipe multidisciplinar tem sido apontado como um fator preditivo da reposta rápida inicial e da adesão ao tratamento. Pelo exposto, foram formuladas duas perguntas de pesquisa: (i) qual a efetividade do tratamento da hepatite C crônica em pacientes portadores do genótipo 1 tratados com BOC e TVR ambos associado a PR e quais os fatores preditores da resposta viral sustentada neste grupo de pacientes. (ii) qual o perfil de segurança do tratamento da hepatite C crônica em pacientes portadores do genótipo 1 tratados com BOC e TVR ambos associado a PR. Neste projeto será realizado um estudo observacional, acompanhando o tratamento de pacientes com com terapia tripla baseada em inibidores de protease associada a PR, visando identificar as taxas de resposta virológica sustentada, verificar os fatores preditores de resposta viral sustentada, identificar a incidência de efeitos adversos; verificar a incidência de interações medicamentosas; acompanhar os parâmetros laboratoriais durante o tratamento; quantificar a adesão ao tratamento medicamentoso; mensurar as taxas de abandono e os fatores associados ao abandono do tratamento; mensurar as taxas de término de tratamento e os fatores associados; identificar, valorar e quantificar os custos médicos e indiretos relacionados ao tratamento durante o período de estudo. A proposta de trabalho multicêntrico, integrado com o serviço propicia a ampliação da capacidade de formação de pessoal para a pesquisa, bem como uma maior aplicabilidade dos resultados. Mareni Rocha Farias CNPq
A influência da acessibilidade e de comportamentos em saúde sobre o controle de sintomas e a busca por serviços de urgência e emergência por pacientes com asma grave em Joinville/SC O uso de medicamentos é um fenômeno social complexo e multideterminado, que é onipresente na atenção à saúde. Compreender o comportamento do uso de medicamentos dos sujeitos em tratamento farmacológico é útil para orientar políticas, redefinir serviços, propiciando o aprimoramento da acessibilidade e a ampliação do acesso. O Modelo Comportamental do Uso de Serviços de Saúde (modelo de Andersen) adaptado para medicamentos, permite explicar esse fenômeno, de forma a levar em consideração a complexidade dos fatores envolvidos, relacionando os condicionantes contextuais às variáveis individuais, os respectivos comportamentos aos resultados em saúde. O Componente Especializado da Assistência Farmacêutica (CEAF) é uma estratégia de acesso a medicamentos no âmbito do Sistema Único de Saúde (SUS), que busca a garantia da integralidade do tratamento medicamentoso, em nível ambulatorial. A Farmácia Escola da Univille é um centro de custo do CEAF em Santa Catarina. Dentre diversos medicamentos que a Farmácia Escola dispensa, os medicamentos disponibilizados para o tratamento da Asma Grave estão entre os de uso mais prevalentes. A asma é uma inflamação das vias aéreas com hiperesponsividade brônquica tratada com medidas de controle ambiental e a utilização de antiinflamatórios associados a broncodilatadores. O conhecimento dos pacientes asmáticos é deficiente tanto em relação aos conceitos sobre a doença e sobre os medicamentos utilizados, como em relação às habilidades necessárias para administrar a medicação. O objetivo do presente projeto é avaliar a associação da acessibilidade e de comportamentos em saúde aos desfechos de controle de sintomas e de busca por serviços de urgência e emergência por pacientes com asma grave em Joinville/SC. Com o total de pacientes cadastrados nos centros de custo, uma pesquisa quantitativa com dados secundários do Sismedex (sistema informatizado do CEAF) traçara um perfil dos pacientes e da doença e por meio de entrevista com formulário estruturado, de uma amostra estimada em no mínimo 280 participantes. A entrevista abordará além de aspectos de acessibilidade e socioeconômicos dos participantes, variáveis relacionadas ao controle dos sintomas e a busca por serviços de urgência e emergência em função de episódios de exacerbações. Uma abordagem qualitativa, por meio de entrevistas semiestruturadas, analisará dimensões, fatores e características do modelo de Andersen relacionados ao uso de medicamentos para aprofundar as associações estabelecidas quantitativamente. A amostra será definida por diversificação. As análises serão realizadas por meio dos softwares SPSS e Atlas.ti. O desenvolvimento desse trabalho apresenta uma interface com a produção de cuidados no âmbito da Assistência Farmacêutica, e os resultados podem ser refletidos pelos atores do próprio serviço, buscando-se incorporar transformações às práticas que ampliem e qualifiquem o acesso. Luciano Soares Fundo de Apoio à Pesquisa Univille
Saúde: práticas locais, experiências e políticas públicas A proposta de Rede de Pesquisas em Saúde tem como objetivo construir instrumentos teóricos e etnográficos sobre os processos de saúde, doença e atenção, enfatizando as relações entre biomedicina e práticas de saúde locais; práticas terapêuticas, especialistas de saúde e emergência de novas formas de atenção à saúde; dinâmicas envolvidas nas práticas de autoatenção em contextos etnográficos específicos. Em particular, interessa à Rede comprender como as políticas públicas em saúde vêm sendo implementadas em diferentes contextos específicos, buscando desvendar os seus impactos e as estratégias que os sujeitos e coletividades sociais usam para aproveitar as novas possibilidades oferecidas, com base nos princípios de humanização, equidade, universalidade e participação social do Sistema Único de Saúde (SUS). O projeto articula pesquisas que abordam diversas formas através das quais os sistemas terapêuticos são acionados para produzir explicações sobre processos de saúde-doença. O enfoque no caráter relacional, na interação e nas múltiplas vozes que integram o cenário social vincula-se à uma compreensão das relações sociais ligadas ao processo de saúde-doença como emergentes e dinâmicas, levando em consideração ainda as interseccionalidades de gênero, raça, classe e geração. Ao mesmo tempo, a ênfase na perspectiva do ator social e em sua capacidade de agência aponta para o fato de que é a partir dos sujeitos e/ou grupos sociais que são construídas as articulações entre os diferentes conceitos e práticas ligados à saúde-doença. Esther Jean Langdon CNPq, FAPEAM, FAPESC, INCT-Brasil Plural
Pet Redes de Atenção à Saúde em Joinville Atuação junto à Rede Saúde do Adulto: linhas de cuidado hipertensão arterial sistêmica (HAS) e/ou diabetes mellitus (DM), e à Rede Cegonha: Linha de Cuidado da Gestante e do Recém-Nascido. Luciano Soares Ministério da Saúde
Pet-Saúde/GraduaSUS Projeto de extensão que visa desenvolver a integração ensino-serviço-comunidade e a formação interprofissional nos cursos de graduação da área de saúde da Univille. Luciano Soares Ministério da Saúde
Farmaceuticos em serviços de atenção primária à saúde: formação, força de trabalho e práticas profissionais no Brasil e outros países O projeto, em parceria com a University of Nottingham, tem por objetivos: Analisar e sintetizar informações sobre a força de trabalho e as práticas farmacêuticas nos serviços de atenção primária no Brasil, relacionando-as à conformação da formação de profissionais farmacêuticos no país; Comparar o cenário brasileiro da atuação e formação do farmacêutico na atenção primária com o cenário apresentado no Reino Unido e em outros países membros da Federação Internacional de Farmacêuticos. Silvana Nair Leite CNPq
Práticas farmacêuticas e práticas de promoção da saúde É escasso o referencial conceitual e proposições práticas para a aplicação da promoção da saúde como basilar para a ação do farmacêutico, comprometendo a concretização das orientações descritas por importantes documentos da área farmacêutica e em especial na área da assistência farmacêutica. Este fato sugere uma parca reflexão sobre o temário, tanto no meio acadêmico quanto no político ou nos serviços de saúde. O objetivo deste projeto é realizar uma análise das práticas de promoção da saúde realizadas por farmacêuticos do NASF de Florianópolis e, como objetivos específicos, identificar as ações de promoção da saúde desenvolvidas por eles; conhecer a concepção de promoção da saúde; identificar a existência de ações intersetoriais desenvolvidas com as Equipes de Saúde da Família. A metodologia do estudo basei-se na observação participante. Silvana Nair Leite CNPq
Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia para Inovação Farmacêutica – INCT_if No âmbito do INCT_if, o Programa Fármacos, Medicamentos e Insumos para Diagnósticos propõe-se a: 1) atuar em atividades de pesquisa, desenvolvimento e transferência de tecnologia para contribuir em inovação nas empresas que operam em insumos para a saúde, com ênfase a fármacos, medicamentos e insumos para diagnósticos;2) atuar em atividades de formação de recursos humanos de alto nível para ampliar a base científica e tecnológica nacional na cadeia inovativa e produtiva farmacêutica; e 3) atuar em atividades de difusão do conhecimento e de tecnologias para a melhoria das condições de vida da população brasileira, promovendo a universalização do acesso ao diagnóstico e aos medicamentos. Para tanto, o inct_if deve induzir o desenvolvimento, internalização e difusão de práticas científicas e tecnológicas capazes de superar as fragilidades e lacunas da cadeia inovativa e produtiva farmacêutica, propondo mecanismos operacionais capazes de viabilizar a transformação de resultados científicos promissores em resultados econômicos efetivos, com impactos sociais. Ivan da Rocha Pitta CNPq
Fatores associados ao não controle da hipertensão arterial sistêmica e efetividade de intervenções individuais e em grupo para a promoção do controle da doença. Entre os grandes desafios para a garantia da efetividade do tratamento da hipertensão arterial sistêmica (HAS) está à adesão dos pacientes ao tratamento farmacológico e a modificação de hábitos de vida. Os motivos para a falta de controle da doença podem estar associados a características dos pacientes, da doença, do contexto, do serviço de saúde e do medicamento. Alguns fatores são considerados modificáveis e podem ser alterados através de intervenções individuais e/ou em grupo. Estratégias de educação em saúde para o desenvolvimento de habilidades para o autocuidado, tanto dos pacientes como de seus cuidadores, contribuem para o controle mais efetivo de doenças crônicas como a hipertensão e são recomendados pelo Ministério da Saúde como política pública da Atenção Primária em Saúde. Contudo poucos estudos avaliam a efetividade destas intervenções. Este projeto tem como objetivo identificar fatores associados ao não controle da hipertensão arterial sistêmica em pacientes em terapia anti-hipertensiva e comparar a efetividade de intervenções individuais e em grupo no controle da hipertensão arterial sistêmica. Carine Raquel Blatt Ministério da Ciência Tecnologia e Inovação, CNPq
Itinerário terapêutico dos usuários que buscam atendimento em serviços de urgência e emergência. Os serviços de atenção às urgências e emergências configuram-se como uma das principais portas de acesso aos usuários da rede de atenção à saúde. A procura por estes serviços está associada ao tratamento inadequado de condições crônicas e a falta e ou dificuldade de acesso a outros serviços de saúde. Este trabalho tem como objetivo identificar a o itinerário terapêutico dos usuários que buscam os serviços de urgência e emergência. Trata-se de um estudo transversal que será realizado através de entrevista estruturada com os usuários que procurarem os serviços de urgência e emergência. Emiliane Nogueira de Souza Sem Financiamento

PROJETOS DE DESENVOLVIMENTO

Título Descrição Coordenador Financiamento
International Pharmacists for Anticoagulation Care Taskforce (iPACT) Anticoagulation management is changing and prescription of non-vitamin K oral anticoagulants (NOAC) is continuously and rapidly increasing in different indications like non-valvular atrial fibrillation (nvAF), prevention of deep venous thrombosis (DVT) and venous thrombo-embolism (VTE). Optimal adherence with these drugs is extremely important due to their short half-lives, the impact of side-effects and the risks of non-compliance. All means necessary, like effective and safe use of drugs, patient education, prescheduled follow-up and pharmacy data, should be considered to optimize adherence. In most countries, there are insufficient physicians in primary care and the implications are that in real life, the time available to support adherence is limited and clearly inadequate. Pharmacists however are in an ideal place to support adherence and ensure that patients understand why they are taking their medicines and the risks if they don’t take them. First of all, they are the most accessible healthcare providers and patients don?t need to book appointments or have to pay to seek professional medical advice. Secondly, they have specific competences to ensure effective and safe use of these drugs (detect inappropriate prescribing, prevent and resolve potential drug related problems and patient counselling services). Third, and last, they can detect potential non-compliance due to their pharmacy refill database. If pharmacists want to play a key role in the care pathway of the anticoagulated patient, their knowledge on this new NOAC therapy needs to be excellent and continuously up-to-date, using the most recent guidelines and data. The International Pharmacists for Anticoagulation Care Taskforce (iPACT) is an expert group committed to enhancing the key role that pharmacists can play in anticoagulation management. To develop professional practices, tools and education systems are the most important aims of this international colaborative project. Silvana Nair Leite Sem Financiamento
Cooperação técnica com o Núcleo de Apoio Técnico – NAT/SC para qualificação das ações de assistência à saúde O Direito à saúde, conforme definido na declaração Universal dos Direitos Humanos, tem sido reconhecido em diferentes tratados mundiais. O Brasil, signatário destes tratados, estabeleceu na Constituição de 1988 a saúde como direito de todos e dever do Estado, garantido mediante políticas sociais e econômicas que visem à redução do risco de doença e de outros agravos e ao acesso universal e igualitário às ações e serviços para sua promoção, proteção e recuperação da saúde. No âmbito farmacêutico, apesar das medidas adotadas, quando os usuários não consideram satisfeitas suas demandas em saúde, recorrem à via judicial invocando a defesa do direito a saúde, para obter acesso ao tratamento. Durante algum tempo, muitas questões relacionadas à análise destas demandas não seguiam algum tipo de padronização. Entretanto, preocupado com a crescente judicialização da saúde, o judiciário propôs, entre outras medidas, a criação de Núcleos de Apoio Técnico do Judiciário, constituídos por profissionais de saúde, para atuar na elaboração de pareceres fundamentados na medicina baseada em evidências. O Núcleo de Apoio Técnico de Santa Catarina, instituído pela Secretaria de Estado de Saúde (SES/SC), instituído por meio da Portaria nº 991 de 30 de novembro de 2015. O NAT/SC, embora tenha sido instituído pela SES/SC e esteja vinculado à consultoria jurídica desta, é imparcial aos litigantes, portanto não se presta a uma defesa prévia do estado. Considerando que a elaboração dos pareceres técnicos é fundamentada nos princípios da saúde baseada em evidências e considerando que é imprescindível o amparo de uma instituição com competência acadêmica que possa subsidiar o desenvolvimento dessas atividades, o objetivo é estabelecer uma cooperação técnica entre a SES/SC e a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), visando a qualificação e a ampliação do NAT/SC e o fortalecimento das ações de assistência farmacêutica. Mareni Rocha Farias Sem Financiamento
Saúde dos Povos Indígenas no Brasil: Perspectivas Históricas, Socioculturais e Políticas Nas últimas décadas, diversos países da América do Sul promulgaram constituições federais que, em larga medida, reinterpretaram as relações entre cidadãos e os Estados Nacionais. O Brasil seguiu essa tendência, incorporando princípios como a equidade social e o multiculturalismo em sua Constituição de 1988, que vem exercendo importante e crescente influência nas políticas públicas em geral, o que inclui a relação com os povos indígenas. Durante a última década, têm sido realizados diversos estudos de recorte histórico e antropológico voltados para analisar as condições sócio-políticas que permitiram a emergência e consolidação da política nacional de saúde para as populações indígenas no Brasil. Nas abordagens analíticas sobre o processo de constituição da atual política pública no campo da saúde dos povos indígenas, até o momento pouca ênfase tem sido dada quanto ao papel dos movimentos sociais, incluindo líderes comunitários e ações políticas de grupos, cuja interação ajudou moldar os conteúdos e diretrizes das políticas de saúde. Através de um enfoque das ciências sociais voltadas para a análise de dinâmicas históricas e contemporâneas, este projeto visa investigar a trajetória e os contextos atuais das políticas de saúde voltadas para os povos indígenas com foco na perspectiva e no ativismo do movimento social e das comunidades indígenas. Para atingir esse objetivo geral, englobará três objetivos específicos: 1) investigar como o ativismo social indígena, através da atuação dos movimentos sociais, contribuiu para a contrução de uma governança participativa na política de saúde indígena; 2) analisar como a situação de saúde e demografia dos povos indígena é apresentada nos sistemas nacionais de informação e como são interpretados/apropriados pelos movimentos indígenas; 3) com base em abordagem etnográfica, investigar como as comunidades indígenas têm experienciado, interpretado e implantado localmente as políticas sociais direcionadas para diminuir as disparidades sociais e a insegurança alimentar. Ricardo Ventura Santos Wellcome Trust